Páginas

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Mais gente com a barraca nas costas! - Cenário do camping no Brasil

 Passeando por blogs dos amigos, achei um artigo interessante, escrito pelo Ricardo do Camping & Família, sobre o cenário do camping no Brasil.
Segue o texto na íntegra:


O campismo no Brasil - por Camping & Família

Como campista por convicção tenho nessa prática um estilo de vida, acampo porque gosto e não justifico meu hobby com o jargão mais comum de que é a opção mais barata para se viajar. Pelo contrário, o valor definitivamente não esta entre as principais razões de eu acampar. Vivencio o campismo desde uma época ruim para o seguimento (meados dos anos 80), e atualmente estou podendo presenciar o “ressurgimento” do campismo.

O campismo no Brasil teve sua “época de ouro” na década de 70. Pelas estatísticas do CCB (Camping Clube Brasil), chegou o registrar 1.000.000 de pernoites ano somente em seus campings.

Nessa época instalaram-se no Brasil empresas renomadas como a TURISCAR e a Karman-guia, fabricante de veículos de recreio (trailers e motor home). Lembro-me de que meu avô era representante de um desses fabricantes. Inúmeras fabricas de barracas também tiveram seu momento nesse mercado na mesma época, como a Ferpi, a  Priscilla e a Alba. Essa última era aqui em Campinas e eu tinha como rotina visitar sua loja de fábrica.

Em meados da década de 80 o campismo entrou em uma decadência devido à crise do petróleo e a inflação que diminuiu drasticamente a renda dos cidadãos de classe média que eram a base do público campista, e isso piorou na década de 90 com as péssimas condições da malha rodoviária e o crescimento de novas opções de viagens e hospedagem. Nessa época muitos camping fecharam suas portas e a maioria dos que permaneceram abertos ficarm abandonados de cuidados e manutenções e graças a isso que o campismo é mau visto aos olhos dos brasileiros que nem imaginam que hoje existem campings que oferecem estruturas de dar inveja a muitos hoteis.

Atualmente o mercado de campismo vem lentamente retomando seu lugar como opção de lazer no cotidiano do brasileiro. Nós do camping e família temos um entendimento desse fenômeno que esta diretamente relacionada à chamada “onda verde”, tendência mundial em que o ser humano procura por qualidade de vida fugindo dos centros urbanos e buscando interagir com a natureza. Tal tendência fez surgir no mundo todo o turismo ecológico e o campismo é apenas uma fatia muito pequena desse mercado.

No nosso dia-a-dia de campista estamos vivenciando e identificando alguns sintomas que independente de pesquisas de mercados ou estatísticas oficiais, indicam claramente que o campismo esta crescendo no Brasil de forma acelerada.

O primeiro indicador que observamos aparece no mundo virtual, no nosso blog, que a cada dia recebe mais e mais visitas de pessoas procurando informações e conhecimento para ingressar no campismo e ou para melhorar a qualidade de suas acampadas, e também com aumento de novos blogs e paginas pessoais nas redes sociais que procuram divulgar a prática.

Outro sintoma está no mercado de equipamento, que no Brasil é praticamente nulo, mas que as poucas novidades que aqui surgem desaparecem rapidamente das prateleiras das lojas e dos sites de vendas pela internet mostrando que o campista esta cada vez mais em busca de produtos de qualidade que facilitem e tragam mais conforto a sua acampada.

Esse segundo sintoma reflete consequentemente nos gramados dos campings e que podemos constatar em todas as nossas acampadas, vivenciando na integra o uso desses equipamentos novos como, por exemplo, barracas cheias de tecnologia, que estão mudando a paisagem dos campings brasileiros.

Visto isso, fica um questionamento para os donos de campings, de lojas de equipamentos e empreendedores em busca de novos mercados. O publico esta querendo qualidade, conforto e segurança, e como para nós do Camping & Família, preço não é o fator principal. O campista esta disposto a pagar por melhores instalações e equipamentos de qualidade e para isso ele tem a informação disponível “on line” nos blogs e sites que discutem e trocam informações sobre equipamentos, campings e roteiros, os prós e os contras.

De acordo com uma matéria publicada no site piscinao.com.br (http://www.piscinao.com.br/CampingCampismo.php) , “a tendência de aumento das atividades de camping é um fato mundial irreversível, e que já começa a se refletir no país. Enquanto estimamos que este ano existam aproximadamente 350 campings organizados no Brasil, só na França existem 9.000 e nos EUA mais de 16.000, o que comprova que acampar não é uma opção de custo de viagem mas de estilo de vida. Ainda nos EUA, em áreas preservadas pelo US Corps of Engineers existem 53.000 locais para camping selvagem. Somente em um dos países europeus, a Espanha, 5.2 milhões de pessoas hospedaram-se em campings em 2000, sendo 3.4 milhões campistas espanhóis. É preciso ressaltar que o alto índice de urbanização na Europa não oferece as opções de natureza do Brasil, Estados Unidos ou Canadá e, mesmo assim, o campismo continua a crescer.”

Por isso pessoal, camping não é mais falta de opção e sim opção.

Grande abraço à todos.
Ricardo & Família

Nenhum comentário:

Postar um comentário